Uma empresa de soluções em gestão, certificação de qualidade, treinamentos e consultoria – presenciais e à distância. Atuamos com visão sistêmica e prática, oferecendo métodos viáveis e pertinentes à realidade das empresas no Brasil.

Últimas Noticias

ExactaGestão Vai fazer exames. Veja se o Laboratório investe na qualidade – Parte I

Vai fazer exames. Veja se o Laboratório investe na qualidade – Parte I

Há muito tempo trabalhando com auditoria e consultoria na área de gestão da saúde coleciono uma vasta experiência de práticas na gestão de qualidade de hospitais, clínicas e laboratórios. Mas hoje resolvi escrever para outro público, o usuário.

Qual o critério que você utiliza para escolher o laboratório para fazer seus exames?

Acredito que provavelmente você utiliza critérios “leigos” para sua escolha, mas será que eles denotam realmente a qualidade?

Abaixo deixo as primeiras dicas para você observar. São itens que direta ou indiretamente podem representar uma excelente noção do grau de envolvimento com a gestão da qualidade.

1 – Identificação

  • A recepção do laboratório deve solicitar documentos de identificação com fotos e conferir seus dados. (No mínimo nome do pai, mãe, RG, data de nascimento e endereço).

Explicação: A conferência dos dados evita troca de paciente no sistema de informática do laboratório. Isto vale mesmo para aqueles pacientes frequentes. Quanto maior o número de dados conferidos maior é a segurança.

  • O documento de identidade deve ser apresentado novamente por ocasião da coleta.

Explicação: Pode acontecer de o coletador chamar um paciente e outro entrar. Ou por que, quem deveria não escutou direito ou pela existência de homônimos.

2 – Código de Barras

  • A existência de etiquetas de código de barras é um excelente indicador de qualidade.

Explicação: O investimento em código de barras para a identificação dos tubos de sangue e demais materiais como urina e fezes demonstram que foi investido em software de gestão e provavelmente no interfaceamento de equipamentos (vide abaixo).

  • Como a etiqueta é colocada. Observe se o funcionário ao colher seu sangue no tubo mostra a etiqueta de código de barras com seu nome completo para você ler e conferir.

Explicação: De nada vai adiantar ter código de barras se o coletador estiver com a etiqueta de código de barras trocada. Todos os exames estarão trocados. Portanto se ele pede para você ler e conferir…excelente, se não, peça para conferir seus dados.

3 – Interfaceamento

  • Pergunte na recepção ou na coleta de seu material se o laboratório possui interfaceamento.

Explicação: O sistema de interfaceamento é a comunicação do software de gestão (faz seu cadastro, registro dos seus exames e a impressão do código de barras) com o equipamento que realizará a análise da amostra. Neste sistema não há necessidade de o operador da máquina digitar seu nome e seus exames, pois o equipamento lerá o código de barras. Pontos que no processo manual possibilitam eventuais trocas. Outro detalhe importante é que o resultado também não será digitado manualmente e sim registrado eletronicamente (pelo aparelho), evitando digitação errada de resultados ou troca de pacientes.

As dicas acima denotam principalmente dois aspectos: Treinamento de equipe e investimento em tecnológica. Podem ser excelentes dicas para você ter uma noção de como está o gerenciamento da qualidade no laboratório de sua escolha. É logico e evidente que são dicas e inferências, e quero deixar claro, que não significa que todo laboratório que não tem os processos acima não tenha qualidade, mas minha experiência prática e a lógica diz, que em algum momento precisarão rever seus processos e fornecer maior segurança a seus clientes.

Nos próximos artigos vou continuar as dicas para laboratório, clínicas e hospitais.

Célio Luiz Banaszeski
Diretor Executivo – Exacta Consultoria

Sem comentários

Deixe uma resposta